segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Massacre Brutal Nos EUA - O Pior Ainda Estar Por Vir






















Matar é o "prato do dia" dos norte americanos, desde o bate papo com as crianças no café da manhã, até o filme à noite ou o último noticiário da TV.

"Muito cedo para falar sobre uma nação louca por armas? Não, muito tarde. Pelo menos TRINTA E UM tiroteios em escolas desde Columbine". 

Desde 1982, são 61 os massacres com armas de fogo registrados nos Estados Unidos,  e a maioria dos agressores conseguiu acesso às armas dentro da lei. Diante da banalidade dos motivos que levaram aos ataques, chega-se a imaginar que esses massacres não teriam acontecido caso os autores não tivessem acesso tão facilitado a armas de fogo, mas, eu particularmente não divido essa opinião.

Não me espanto mais com esses massacres, e creio que coisa muito pior virá a cada ano, até o dia em que eles mesmos se evaporarão sob o calor hiroshimiano de suas próprias armas nucleares.

Basta que sua economia continue ladeira abaixo, pois aquela não é uma sociedade treinada desde cedo para enfrentar dificuldades e vencê-la em seu próprio território.

Quando as coisas estão insustentáveis, invade-se um país – que ao longo de anos já vinha sendo mostrado como ameaça iminente – e sua indústria bélica tratará de arrasar o que encontrar pela frente, seus soldados, drogados, a estuprar e esquartejar, para em seguida suas empresas privadas chegarem para a reconstrução, ao custo de toda a riqueza daquele povo invadido, agora tratado por toda a imprensa mundial como “insurgentes”.

É assim que age o estabelechiment  norte americano, enquanto os que não estão oficialmente engajados nesses crimes, voltam-se contra o que está mais próximo, que são eles mesmos.

Neste último, além de duas pistolas, o atirador de apenas 22 anos da Escola Primária Sandy Hook, em Newtown, Connecticut, carregava também um rifle e centenas de balas, algo considerado um direito constitucional nos Estados Unidos.

Matou primeiro a mãe, para que não tivesse como desistir do que planejara.




Nenhum comentário:

Postar um comentário