quinta-feira, 20 de novembro de 2014

TARSO DEFENDE “EXPULSÃO IMEDIATA” DE ENVOLVIDOS NA LAVA JATO








Governador do Rio Grande do Sul defende que suspeitos de envolvimento no esquema de propina na Petrobras devem deixar o PT antes mesmo que haja julgamento; ao comentar as investigações da Polícia Federal, Tarso Genro, um dos fundadores do PT, afirmou que nunca a "necessidade de refundação" da sigla "esteve tão em evidência como hoje"
O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), defendeu a "expulsão imediata" do PT de filiados alvo de investigação na Operação Lava Jato. Segundo ele, caso sejam identificados por instâncias internas da legenda indícios de que houve participação de petistas no esquema de propina em contratos da Petrobras, eles devem ser expulsos antes mesmo que haja julgamento.
Em entrevista ao portal G1, o governador, que ajudou a fundar o PT, defendeu a "refundação" da sigla. "Nunca a necessidade da questão da refundação esteve tão em evidência como hoje. Se depois de o PT passar por todos aqueles percalços, de repente se flagra pessoas do PT envolvidas em financiamento ilegal de campanha, eventualmente com corrupção, isso só demonstra que essa visão da refundação se torna mais urgente do que foi colocada naquela época", afirmou.

Em sua avaliação, caso o PT não se comprometa com a reforma política, pode se tornar um partido como os outros. Depois de ser derrotado na disputa pela reeleição, em outubro, Tarso Genro declarou que não pretendia ocupar nenhum cargo no governo da presidente Dilma Rousseff, pois se dedicaria à reforma política e a discussões para a reconstrução do partido. Ele chegou a se encontrar com o ex-presidente Lula para debater os temas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário