quinta-feira, 28 de maio de 2015

CPI, PF E MP FORMAM “ALIANÇA PODEROSA” CONTRA O CARF







 "CPI dos Zelotes, na qual muitos senadores não quiseram apostar, decolou esta semana", afirma Tereza Cruvinel, colunista do 247, noticiando que policiais federais, técnicos da Receita e do Ministério Público serão cedidos à comissão para auxiliar a relatora, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM); diante das dificuldades que "o MP e a PF vêm encontrando junto ao Judiciário, que tem negado pedidos de prisão, levantamento do sigilo e novas escutas e interceptações eletrônicas de suspeitos e investigados, agora a CPI poderá funcionar como um atalho, determinando providências para as quais tem competência", diz; pedido do senador José Pimentel (PT-CE) da lista das pessoas físicas e jurídicas que devam mais de R$ 100 milhões em impostos "alavancará a nova ofensiva de investigações", avalia a jornalista.


Por Tereza Cruvinel



A CPI do CARF, ou dos Zelotes, na qual muitos senadores não quiseram apostar, decolou esta semana. Mais importante que as convocações aprovadas foi a aliança operacional firmada com o procurador Frederico Paiva, o delegado federal Marlon Cajado e suas equipes.
O Ministério Público e a Polícia Federal vêm encontrando dificuldades junto ao Judiciário, que tem negado pedidos de prisão, levantamento do sigilo e novas escutas e interceptações eletrônicas de suspeitos e investigados. Agora a CPI poderá funcionar como um atalho, determinando providências para as quais tem competência. Policiais federais, técnicos da Receita e do MPF serão cedidos à CPI para auxiliar a relatora, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).
As convocações começaram a ser aprovadas esta semana. Já foram chamados a depor o procurador-chefe da Fazenda Nacional no CARF, Paulo Riscado, outro provável aliado; o procurador da República Frederico Paiva, responsável pelas investigações da Operação Zelotes; o diretor de Combate ao Crime Organizado da PF, Oslain Santana; o presidente do CARF, Carlos Barreto; a vice-presidente do CARF, Maria Tereza Martínez López; o conselheiro Paulo Roberto Cortez e Leonardo Manzam, genro do ex-secretário Otacílio Cartaxo e ex-conselheiro também sob investigação.
Nesta quarta-feira, a CPI aprovou a convocação de representante da Opportunity Gestora de Receitas Ltda, empresa do grupo Daniel Dantas, que fez pagamentos suspeitos à empresa SGR, uma das consultorias que intermediavam pagamentos aos conselheiros que vendiam sentenças favoráveis à redução de dívidas tributárias de grandes empresas, bem como seus representantes.
Outro requerimento aprovado, que alavancará a nova ofensiva de investigações, foi o do senador José Pimentel, pedindo à Receita o fornecimento da lista de todos as pessoas físicas e jurídicas que devam mais de R$ 100 milhões em impostos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário