terça-feira, 21 de julho de 2015

ESTILO “HOMEM-BOMBA” DEVE ISOLAR CUNHA AINDA MAIS







Meio bicho, meio PIG



O estilo "homem-bomba" tende a aumentar ainda mais o isolamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na presidente da Câmara numa hora de enfraquecimento político, avalia o jornalista Kennedy Alencar.
Para ele, respostas de Cunha como a de ontem, em que disse que aceitaria fazer acareação com o delator Júlio Camargo, mas que a presidente Dilma Rousseff e os ministros Edinho Silva e Aloizio Mercadante teriam que fazer o mesmo "só eleva a tensão com o governo nos bastidores".
Kennedy diz ainda que "atacar Sérgio Moro", como vem fazendo o peemedebista, "é comprar briga com a figura mais popular do Brasil hoje". "Um erro de cálculo", acredita o jornalista, acrescentando que a CPI do BNDES, criada na Câmara para atingir o governo, também não parece ser uma boa estratégia.
"A personalidade guerreira de Cunha o ajudou a conquistar a presidência da Câmara, mas, por ironia do destino, essa característica pessoal poderá acelerar a eventual perda do cargo. Já há líderes de partidos aliados dizendo que não pretendem seguir a linha agressiva de Cunha na volta do recesso", escreve Kennedy.




Nenhum comentário:

Postar um comentário