segunda-feira, 30 de novembro de 2015

EM JANTAR, AÉCIO E FHC CONSPIRAM CONTRA DILMA E NOSSA DEMOCRACIA




Assustados, Aecinho e Fernandinho HC regurgitam seus temores com o que conseguiram mater às escondidas até agora.


O probo presidente do PSDB e senador acima de qualquer suspeita Aécio Neves (MG) - aquele que teve como padrinho de casamento ninguém menos que o prisioneiro André Esteves, ex dono do Banco BTG Pactual - jantou ontem, domingo 29 à noite, com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso - aquele que nomeou Delcídio do Amaral para uma diretoria da Petrobrás. Juntos, conspiraram contra a presidente Dilma Rousseff. Em sua página no Facebook, Aécio postou a foto do encontro com a seguinte mensagem: "Com o presidente Fernando Henrique Cardoso, avaliando a extensão da crise".
No últimos dias, a prisão do senador e líder do governo Delcídio Amaral (PT-MS) reacendeu as esperanças golpistas no PSDB, que desde as eleições de 2014 tenta tirar Dilma do poder. Os tucanos, que haviam rompido com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), agora esperam que o deputado abra um processo de impeachment.
A decisão pode ser tomada até sexta-feira 4, conforme anunciou o próprio Cunha na semana passada. A recusa ao pedido está condicionada ao apoio do PT no Conselho de Ética contra a cassação do presidente da Câmara, processo cujo relatório do deputado Fausto Pinato (PRB-SP), a favor da continuidade da investigação, será votado nesta terça-feira 1º.

Cunha também pode autorizar o pedido de impeachment apresentado pelo ex-petista e jurista Hélio Bicudo, que recebe o apoio da oposição, caso receba o apoio de parlamentares da oposição no Conselho de Ética e não seja aprovado, no Senado, o projeto que permite ao governo fechar as contas com déficit de R$ 51 bilhões.
Acontece que, nas últimas semanas, a imagem do presidente da Câmara deixou de ter legitimidade para tal iniciativa. Alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por recebimento de propina no esquema de corrupção da Petrobras, investigado na Operação Lava Jato, e apontado como dono de contas secretas na Suíça, Cunha acaba de ser acusado de receber R$ 45 milhões do BTG Pactual, cujo dono, André Esteves, foi preso na semana passada junto com Delcídio Amaral.
O áudio que embasou a prisão do senador e do banqueiro também revela fatos obscuros sobre o PSDB. Na conversa gravada com seu chefe de gabinete, Diogo Ferreira, o advogado de Nestor Cerveró, Edson Ribeiro, e o filho do ex-diretor da Petrobras, Bernardo Cerveró, Delcídio demonstrou receio de revelações sobre seus negócios com a Alstom no governo FHC, período em que o senador ocupou uma diretoria na Petrobras. Além disso, André Esteves tem estreitas relações com o PSDB e especialmente Aécio Neves – chegou a participar da lua de mel do tucano em 2013, após ser seu padrinho de casamento.
Certamente sairam do restaurante deixando um rastro de merda no ar, já que FHC, sempre que o perigo lhe bate à porta, costuma borrar as calças.




Nenhum comentário:

Postar um comentário