quinta-feira, 5 de novembro de 2015

O PINOTE DE PINATO





Pinato, reluzente para as primeiras páginas.


por Rodolfo Vasconcellos


O fato do deputado Fausto Pinato estar em seu primeiro mandato não o impede de ser o relator do processo de cassação do presidente da câmara dos deputados, o desavergonhado Eduardo Consentino da Cunha, mas, convenhamos, que sua indicação como relator foi um "achado" que caiu do céu, possibilitando-lhe dar um pinote dos grandes para sair do anonimato próprio do baixo clero direto para as primeiras páginas da mídia abutre... Ah! Isso foi.
Pinato, o relator, amanheceu querendo mostrar serviço, e não descartou a possibilidade de entregar seu parecer antes do prazo de 10 dias. Já Araújo – o presidente do “Conselho de Ética” (sic) - por sua vez, garantiu que se for esse o caso, antecipará a reunião para leitura do relatório.
Será que estão mesmo todos eles tão interessados em ver Cunhão pelas costas?
Cunha é acusado de quebra de decoro parlamentar em representação feita pelo PSOL e pela Rede por ter mentido em depoimento à CPI da Petrobras ao afirmar não ter contas no exterior. Documentos dos Ministérios Públicos do Brasil e da Suíça apontam a existência de contas bancárias em nome de Cunha e de familiares no país europeu.

Além da representação no "Conselho de Ética" (sic), o presidente da Câmara também é alvo de uma denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF), acusado de receber pelo menos 5 milhões de dólares em propina do esquema de corrupção na Petrobras.

Cunhão responde ainda a inquérito no Supremo Tribunal Federal pela existência de contas bancárias dele, da mulher e da filha na Suíça. Os recursos dessas contas, cuja existência foi informada às autoridades brasileiras depois de o MP suíço passar ao Brasil uma investigação contra Cunha, foram bloqueados e sequestrados por determinação do STF.

Como mostram os documentos enviados ao Brasil pela Suíça, as contas de Cunha são administradas por empresas e trustes controlados por ele, e que têm ele e seus familiares como beneficiários.

O deputado disse aos colegas que foi questionado na CPI se era titular de contas e diz que isso ele não é, porque elas foram registradas por empresas que abriu fora do país.

Reservadamente, aliados de Cunha apontam fragilidades no argumento, já que não resta dúvida de que ele era o beneficiário e dono do dinheiro movimentado pelas contas, tanto que, quando foi efetuar saques de milhares de dólares para sua mulher gastar com seu professor de tênis, não errou o endereço.
De qualquer forma, o grande beneficiário de toda essa canalhice é Pinato, o homem que não perdeu o pinote.



Nenhum comentário:

Postar um comentário