quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

A ORDEM DEMOCRÁTICA ESTÁ SENDO AFRONTADA DESCARADAMENTE POR CANALHAS





Parte da escória da política nacional




De Jean Wyllys, no Facebook


O Plenário da Câmara Federal esteve em convulsão, com sucessões de bate-bocas, pelo fato de Cunha e oposição de direita terem dado um golpe na composição da Comissão Especial de análise do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Por 272 votos contra 199, a chapa composta/proposta por Cunha e oposição de direita (PSDB, DEM, PPS e Solidariedade, mais facções do PMDB e do PP), venceu. Nós queríamos que a votação da constituição da comissão do impeachment seja aberta, mas Cunha impôs o segredo sobre a votação. Mais um passo para o golpe foi dado. É impressionante como a ordem democrática é afrontada descaradamente por canalhas!


O deputado Paulinho da Força (SD-SP) agrediu verbalmente a deputado Maria do Rosário (PT-RS) enquanto ela protestava em relação ao golpe de Cunha. Houve reação de deputados petistas! O companheiro Chico Alencar (PSOL-RJ) quis se pronunciar ao microfone, mas Cunha cortou os microfones alegando que “ninguém fala enquanto não votar”. Surreal! Eduardo Cunha e a oposição de direita colocaram o Parlamento à beira do abismo.


Um policial legislativo vigiava cada uma das cabines de votação e o áudio do Plenário foi cortado a pedido de Cunha, exceto seu microfone. Nunca imaginei viver o que estou vivendo nesse Parlamento. Cunha et caterva são o pior que a política desse país poderia produzir! É inacreditável que o destino do país esteja entregue a gente desse nível, chefiada por um corrupto formalmente denunciado ao STF, e que ainda haja quem aplauda essa gente.


Os parlamentares do DEM, PSDB, PPS, Solidariedade e de facções do PMDB e do PP, a mesma turma que impediu que o Conselho de Ética sequer votasse a admissibilidade do processo contra Cunha, gritavam há pouco algo muito sintomático: “Queremos tudo!”.

Há uma inversão de valores em curso aqui na Câmara, conduzida por plutocratas e cleptocratas fora e dentro do Parlamento.


Tempo ruim! Mas, amanhã vai ser outro dia! #ForaCunha


Em tempo: tudo que relatei aqui para vocês parece uma vitória do Cunha et caterva, mas foi uma derrota na verdade. Hoje, o “não ao impeachment” mostrou que tem mais votos mais votos do que o necessário para derrotá-lo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário