sábado, 23 de julho de 2016

PORTA-VOZ TUCANO DO IMPEACHMENT FAZ REFEIÇÃO DE 7,5 MIL REAIS COM NOSSO DINHEIRO.



Postado no Facebook em 2016





Senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) é um dos reis da mordomia na “farra da boca livre”. O parlamentar espetou uma conta de R$ 7,5 mil no contribuinte por uma única refeição numa famosa churrascaria. “A farra não tem fim nem limite”, diz jornalista

“Congresso banca `hábito gourmet´ dos parlamentares”, denuncia o título da página A10 do Estadão do último domingo sobre as despesas com bocas-livres patrocinadas por parlamentares em que eles torram a nossa grana sem dó nem piedade.

O jornal ilustra a matéria com a reprodução da nota fiscal 221515 do restaurante “Porcão”, de Brasília, o preferido dos políticos que não se importam com o valor da conta, emitida em nome do senador Cássio Cunha Lima (o senador paraibano foi cassado pelo TSE quando era governador do Estado pela prática de abuso de poder político e econômico nas eleições de 2006)

Valor: R$ 7.567,60, ou seja, mais de dez salários mínimos. Na parte de “discriminação das mercadorias” encontra-se uma singela informação: “Refeições”. Não diz nem quantas foram servidas porque isso, certamente, não interessa a ninguém.

Pois ato publicado pelo Senado em 2010 determina que, para receber o ressarcimento dos gastos, os parlamentares devem apresentar “nota fiscal, datada, e com a completa descriminação da despesa”.

A boca-livre com dinheiro público foi oferecida pelo senador, após uma homenagem a seu pai, o ex-parlamentar e ex-governador da Paraíba Ronaldo Cunha Lima, que ficou famoso por ter disparado três tiros contra o seu antecessor Tarcísio Burity, em um restaurante de João Pessoa, sem nunca ter sido condenado, como relatam os repórteres Bernardo Caram e Andreza Matais.



Nenhum comentário:

Postar um comentário