quinta-feira, 29 de setembro de 2016

FMI MANDA AS PRIMEIRAS ORDENS PARA TEMER: REVISÃO PRA BAIXO, DO SALÁRIO MÍNIMO, E REFORMA TRABALHISTA







Em um relatório após visita ao Brasil, o Fundo Monetário Internacional (FMI) recomendou importantes mudanças no País, como a revisão do cálculo de ajuste anual do salário mínimo e uma reforma trabalhista, com o objetivo de "recuperar a sustentabilidade fiscal" e "retomar o crescimento" da economia.
 
Outra proposta do Fundo foi a de alterar o plano de cinco anos para equilibrar as contas públicas. O texto pede um ajuste fiscal maior, elogia a proposta do governo Temer de impor um teto para os gastos públicos – algo que pode "mudar o jogo", aponta o FMI – e afirma ver sinais de que a recessão está no fim.

Mas isso apenas se forem aprovadas a PEC do teto de gastos – que congela os gastos públicos por um período de 20 anos e tem forte resistência da oposição e de movimentos sociais, que afirmam que haverá cortes de direitos – e a reforma da Previdência, que prevê estabelecer uma idade mínima para se aposentar.

"Esta projeção está baseada na presunção de que seja aprovado no Congresso o teto em gasto fiscal e a reforma da previdência social em um período razoável", diz o documento, apontando que o Brasil poderá voltar a crescer em 2017. A previsão do FMI é que o PIB brasileiro sofra queda de 3,3% neste ano e crescimento de 0,5% no ano que vem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário