domingo, 11 de setembro de 2016

Postado no Face em 1º de junho/2016 - ENCONTRO CRIMINOSO ENTRE TEMER E CUNHA, NA CALADA DA NOITE DE UM DOMINGO, É CRITICADO ATÉ PELA FOLHA DE SÃO PAULO.





Rodolfo Vasconcellos 1 de julho/2016
 
ENCONTRO CRIMINOSO ENTRE TEMER E CUNHA, NA CALADA DA NOITE DE UM DOMINGO, É CRITICADO ATÉ PELA FOLHA DE SÃO PAULO.


Jornal de Otavio Frias questiona encontro entre Michel Temer e o presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ): “A carga de suspeitas, acusações e processos a pesar sobre o parlamentar peemedebista transformou-o, justificadamente, no exemplo por excelência do que há de mais condenável nas práticas políticas brasileiras –e apenas isso já bastaria para que dele Temer mantivesse segura distância”; “A lamentar, entretanto, que as prioridades republicanas se curvem ao hábito da penumbra, do conchavo, do que mal se confessa”, diz

Rodolfo Vasconcellos
Rodolfo Vasconcellos ENCONTRO ENTRE TEMER E CUNHA PASSA DE CRIMINOSO A INSTITUCIONAL

O líder do governo na Câmara, deputado André Moura (PSC-SE), foi escalado pelo Palácio do Planalto para negar a existência de pressão do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) sobre o
presidente em exercício Michel Temer para salvar o mandato do peemedebista. Moura disse que o encontro entre Temer e Cunha no último domingo, 26, foi institucional e que não há “nada de anormal nisso”. “Por parte do Palácio não há nada a esconder. O encontro foi institucional, foi republicano”, afirmou.

Moura negou que Cunha tenha pedido ajuda ao presidente em exercício, e insistiu que a conversa foi sobre o tema genérico “cenário político nacional”. “Aí é conversa deles dois”, desconversou.

O governista também refutou a tese de que Temer tenha interferido na escolha de Ronaldo Fonseca (PROS-DF) para a relatoria do recurso de Cunha na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). “A escolha do Fonseca não foi do Planalto, o Planalto não tem o poder de blindar”, respondeu.

Para Moura, a renúncia de Cunha à presidência da Câmara ou sua cassação resolveriam a instabilidade, mas ele reconheceu que a primeira opção seria a mais rápida.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário