domingo, 11 de setembro de 2016

Postado no Facebook em 03 de junho/2016 - MAIS UM CRIME NAS BARBAS DO JUIZ QUE FALA GROSSO COM OS SILVA E FINO COM OS CARDOZO. OS CRIMES DO CRÁPULA DO FHC SÃO INVISÍVEIS PARA O DESLUMBRADO SÉRGIO MORO





Rodolfo Vasconcellos 8 de julho/2016
 
LEWANDOWSKY DÁ 48 HORAS A MORO PARA JUSTIFICAR PERSEGUIÇÃO A LULA.


Do g1:

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, enviou ofício nesta quinta-feira (7) ao juiz Sérgio Moro pedindo informações sobre atos que permitiram e divulgaram gravações de conversas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com diversos políticos, dirigentes partidários e sindicais nas investigações da Operação Lava Jato.

O pedido decorre de uma ação protocolada na última terça-feira (5) na qual advogados do petista pedem a anulação da validade, como prova, das gravações.

Caberá a Moro explicar ao STF os fundamentos da decisão de gravar e autorizar a divulgação das conversas. Assim que notificado, ele deverá prestar as informações em até 48 horas.

A defesa de Lula aponta “usurpação de competência” por parte de Moro, afirmando que ele retirou o sigilo das gravações de forma indevida, já que havia autoridades com o chamado foro privilegiado nas conversas, como o ex-ministro Jaques Wagner (na época na Casa Civil), por exemplo, que só podem ser investigadas pelo STF.

Mesmo assim, diz a defesa, Moro também incluiu o material em investigações na própria Justiça Federal.

Rodolfo Vasconcellos
Rodolfo Vasconcellos 3 de junho/2016
 
MAIS UM CRIME NAS BARBAS DO JUIZ QUE FALA GROSSO COM OS SILVA E FINO COM OS CARDOZO.


OS CRIMES DO CRÁPULA DO FHC SÃO INVISÍVEIS PARA O DESLUMBRADO SÉRGIO MORO

Em sua delação premiada, o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró revelou que a presidência da Petrobras durante o governo do tucano Fernando Henrique Cardoso lhe orientou que fechasse contrato com uma empresa ligada ao filho de FHC, Paulo Henrique Cardoso.

Segundo ele, o caso ocorreu entre os anos de 1999 e 2000, quando era subordinado ao ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) na diretoria de Gás e Energia da Petrobras.

Cerveró contou que foi procurado pelo lobista Fernando Soares, o Baiano, que representava a empresa espanhola Union Fenosa, interessada em se associar à Petrobras na termoelétrica do Rio de Janeiro (Termorio).

Rodolfo Vasconcellos
Rodolfo Vasconcellos 10 de abril/2016
 
POPULARIDADE DE SERGIO MORO DESPENCA APÓS COERCITIVA DO EX PRESIDENTE LULA - DIZ PESQUISA ENCOMENDADA PELA FIESP


Da coluna de Vera Magalhães na Veja:

Pesquisa apresentada à Fiesp por uma empresa que monitora redes sociais mostra abalo na imagem de herói de Sergio Moro após episódios como a condução coercitiva de Lula, a suspensão provisória pelo STF da investigação contra o petista e o pedido de “escusas” do juiz.

O apoio a suas ações despencou de 90% para menos de 55%.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário