domingo, 11 de setembro de 2016

Postado no Facebook em 29 de julho2016 - "JUIZES NÃO PODEM SER ACUSADORES" DIZ ADVOGADO DE LULA EM GENEBRA. MUITO MENOS CARRASCOS, PARTICIPANDO DA EXECUÇÃO AO VIVO.







Rodolfo Vasconcellos 20 de agosto/2016
 
#PrimeiramenteFeraTemer


O EX PRESIDENTE LULA FAZ NOVA QUEIXA CONTRA O ÍNCLITO MORO AO STF.

Na petição apresentada nesta sexta-feira, advogados do ex-presidente Lula contestam o juiz Sergio Moro por ter negado à defesa acesso ao inquérito que o investiga pelo apartamento no Guarujá (SP); "Os advogados do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva ingressaram hoje (19/08/2016) com Reclamação no Supremo Tribunal Federal contra o juiz Sérgio Moro por violação à Súmula Vinculante nº 14 editada por aquela Corte – que assegura à defesa amplo acesso a qualquer procedimento investigatório. O juiz está agindo de forma ilegal ao impedir que a defesa de Lula tenha acesso a procedimento investigatório", dizem os advogados; caso será levado também ao Comitê de Direitos Humanos da ONU.

Rodolfo Vasconcellos
Rodolfo Vasconcellos 29 de julho/2016
 
#PrimeiramenteForaTemer


"JUIZES NÃO PODEM SER ACUSADORES" DIZ ADVOGADO DE LULA EM GENEBRA.

MUITO MENOS CARRASCOS, PARTICIPANDO DA EXECUÇÃO AO VIVO.

Um dos maiores especialistas mundiais em direitos humanos, o advogado Geoffrey Robertson, que representou o ex-presidente Lula no recurso apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, contra abuso de poder do juiz Sérgio Moro, explica em vídeo os motivo da petição, ao lado do advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente no Brasil; para Robertson, Moro perdeu a imparcialidade para julgar Lula, entre outras razões, porque "atua como verdadeiro acusador, ao lado dos promotores"; "Nenhum juiz na Inglaterra ou na Europa poderia agir dessa forma. Esta é uma grave falha do sistema penal brasileiro", afirmou; ele também faz críticas às prisões antes do julgamento e à forma como vem sendo firmados acordos de delação premiada no Brasil.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário