sexta-feira, 16 de setembro de 2016

SHOW MIDIÁTICO DA SEITA DE CURITIBA ISOLA AINDA MAIS SERGIO MORO, DALLAGNOL E OS CARROS PRETOS COM SEUS BRASÕES RELUZENTES EM BLITZ ESPETACULARES.



O ínclito Sergio Moro e o ex-presidente Lula



MINISTRO GILMAR MENDES: Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes disse nesta sexta-feira 16 que a denúncia do Ministério Público permite agora uma defesa técnica da parte do ex-presidente Lula; "O que é positivo nesse caso específico, que dá segurança ao ex-presidente Lula e seus advogados? É que agora ele tem uma denúncia. No mais é mimimi, trololó. Havendo uma denúncia, se defende da denúncia que foi proferida. Esse é o dado positivo", declarou. 

MINISTRO DIAS TOFFOLI: Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli alertou que a Justiça corre o risco de cair em uma espécie de "totalitarismo do Judiciário e do sistema judicial"; segundo ele, existe a possibilidade de que o Judiciário venha a "cometer o mesmo erro que os militares cometeram em 1964" em razão da criminalização da política e pelo exagero no ativismo; "Nesse protagonismo, o Poder Judiciário tem que ter uma preocupação: também não exagerar no seu ativismo. Se exagerar no seu ativismo, ele vai ter o mesmo desgaste que tiveram os militares", destacou. 

JORNALISTA MARCELO ZERO E A PERIGOSA SEITA DE CURITIBA: "Todo o Brasil sabe que a fraude do impeachment sem crime de responsabilidade teria de ser complementada pela farsa das denúncias sem crimes contra Luiz Inácio Lula da Silva. O que querem, o único que querem, é impedir que Lula se candidate de novo em 2018 e resgate o país das garras do golpe e do seu terrível programa de retrocesso contra o povo brasileiro. O golpe precisa se completar", afirma Marcelo Zero; para ele, "é inacreditável que o Ministério Púbico, que deveria primar pelo republicanismo e a seriedade, tenha dado esse espetáculo patético ao país." escreveu.

FERNANDO MORAIS - ESCRITOR: PERSEGUIÇÃO A LULA VISA CONSOLIDAR O GOLPE - Para o escritor e jornalista Fernando Morais, a tentativa de tirar Lula das eleições presidenciais de 2018, a partir de condenação judicial articulada pela Lava Jato, é parte da estratégia de consolidação do golpe que derrubou Dilma Rousseff; "Essa denúncia maluca, porque o próprio acusador diz que não tem como provar, é a consolidação do golpe", disse; "Se não pegarem o Lula, não tem golpe, porque o Lula ganha as eleições de 2018", completou.



Nenhum comentário:

Postar um comentário