domingo, 16 de outubro de 2016

A VERGONHOSA SELETIVIDADE DOS CRIMES ENFRENTADOS POR SERGIO FERNANDO MORO




Cego ao ponto de não antever seu próprio futuro





Os crimes de Aécio Neves (propinas milionárias em Furnas, Transpetro e Cidade Administrativa), José Serra e Geraldo Alckmin (20 milhões da Engevix e muito mais), Romero Jucá (20 milhões em mesadas da Transpetro e muito mais), Geddel Vieira Lima (propinas milionárias de 12 empreiteiras), do ministro do STJ José de Castro Meira (cujo filho recebeu 11,2 milhões divulgado ontem), de Moreira Franco, Renan Calheiros (32 milhões da Transpetro) e uma interminável lista de gangsters entocados em todas as instituições nacionais, não têm a menor importância para o "salvador da pátria" o "paladino da moralidade" o "guru de Deltan Dallagnol", e a "bola da vez da mídia" Sergio Fernando Moro.

"A inelegibilidade de Lula é o que realmente importa para a coalizão no poder, composta por PMDB, PSDB e DEM, além dos partidos satélites que, embora apinhados de bandidos já devidamente delatados, se escoram no justiceiro para se livrar do único líder popular existente há décadas no Brasil e líder absoluto nas pesquisas para o pleito presidencial de 2018.

Eles não 'fizeram o diabo', deram um golpe que manchou definitivamente a imagem da nossa democracia para o mundo, afastaram injustamente uma presidente eleita e estão implementando uma agenda ultra-conservadora para, ao final, deixarem Lula ressurgir como candidato em 2018".

A anunciada prisão do ex-presidente Lula desenha o roteiro da inabilitação dele. "Moro o mandaria prender preventivamente agora e o condenaria num prazo bem curto, de modo que o julgamento em segunda instância ocorra ainda nos primeiros meses do ano que vem. Condenado, Lula continuaria preso, como manda a interpretação do STF, e já estaria inelegível para 2018".

Mais uma vez nossa adolescente democracia é ferida de morte com um golpe de Estado, travestido agora de legalidade. O inconformismo dos poderosos em abrir mão de ínfimo percentual dos seus ganhos em favor da grande massa de carentes; a eterna esperança da classe média alta de um dia se tornar burguesa também; o açoite criminoso diário da mídia golpista capitaneada pela expertise da Globo no assunto; um Congresso que é a maior concentração de bandidos por metro quadrado do mundo, e um judiciário repleto de personagens que vendem sentenças milionárias e habeas corpus estarrecedores, encontraram na figura do juiz federal com aptidões ao estrelato, sem medo de mostrar toda sua parcialidade contra as forças populares, com uma pressa nunca vista para tirar da cena política o maior número dessas lideranças, o feitor mais habilitado para levar esse enredo adiante, até culminar com a prisão do ex-presidente Lula. Os crimes dos verdadeiros criminosos, esses não têm recebido a mesma atenção do juiz Moro nem da força-tarefa da Lava Jato, que os ignoram vergonhosamente.

Mas, esse foi o desfecho combinado entre todos os criminosos acima citados, e só ele interessa de fato, porque os verdadeiros corruptos que apinham as nossas principais instituições, notadamente a classe política, não resistiriam a mais seis meses de governo Dilma e sua determinação de não deixar pedra sobre pedra.

Os criminosos conseguiram frear a única oportunidade que o Brasil realmente teve para acabar com a corrupção, e agora esperneiam para se manter mais algumas décadas no poder, cegos ao ponto de não perceber para onde estão levando a paz com a qual sempre convivemos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário