sábado, 11 de fevereiro de 2017

DELEGADO DA PF MÁRCIO ANSELMO, ABANDONA A LAVA JATO APÓS BUSCA ALUCINADA DE PROVAS QUE NÃO EXISTEM



Alegando "esgotamento físico e mental" causado pelos três anos de Lava Jato sem conseguir provas contra o ex presidente Lula e Dona Marisa Letícia após indiciá-los no caso do Triplex no Guarujá, o delegado da PF Márcio Adriano Anselmo, deixa a Operação.



O delegado da Polícia Federal Márcio Adriano Anselmo deixará a força-tarefa da Lava Jato. Ele próprio pediu para deixar os trabalhos alegando "esgotamento físico e mental causado pelos mais de três anos à frente da condução de inúmeros inquéritos policiais relacionados à Operação Lava Jato".
 
Anselmo está desde o início das investigações na força-tarefa da operação, tendo sido responsável pela investigação originária que chegou ao esquema de corrupção na Petrobras - envolvendo a família do ex-deputado José Janene (PP-PR), morto em 2010. Ele agora irá assumir a Corregedoria da Superintendência da Polícia Federal no Espírito Santo.

Responsável por ter indiciado Lula e Marisa Letícia no caso do triplex no Guarujá, Marcio Anselmo se envolveu em polêmica por ter apoiado, nas redes sociais, a candidatura de Aécio Neves (PSDB-MG) à presidência e feito comentários negativos a respeito do ex-presidente Lula e do PT - chegou a chamar o petista de "anta".

Anselmo diz ainda no documento em que anuncia o desligamento que é quem "há mais tempo atuou na operação, antes mesmo de sua fase ostensiva". "Tal pedido se dá por questões de natureza pessoal, sem interferência da administração", diz ele, acrescentando que a força-tarefa "conta hoje com uma estrutura que permite minha saída sem prejuízos à investigação".



Nenhum comentário:

Postar um comentário