segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

TEMER NA PRESIDÊNCIA É UMA AFRONTA À DIGNIDADE NACIONAL



Os cabeças (ou as mulas) da quadrilha que se apoderou do poder através de um golpe jurídico/midiático/parlamentar, para instalar, desavergonhadamente, o crime em suas várias modalidades, no centro da vida política/institucional do país


A seguir, texto por Aldo Fornazieri, professor da Escola de Sociologia e Política, no Jornal GGN


A grande frente que se formou para perpetrar o golpe do impeachment está se desfazendo aos poucos. O ponto de convergência desta frente foi a Operação Lava Jato. Ela era o estandarte, a bandeira tremulante, na qual estava estampada a cruz para liderar o expurgo dos corruptos que haviam se apossado do país. Sérgio Moro parecia ser uma espécie de São Bernardo de Clairvaux, cujos pareceres nos processos e nos mandatos eram verdadeiras chamadas à mobilização de cruzados. Ou, quem sabe, era o bispo Fulk um dos chefes da Cruzada Cátara para combater com violência os hereges porque, entre outras coisas, estes queriam uma maior igualdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário