sexta-feira, 17 de março de 2017

O DELEGADO GRILL ESPETA A CARNE FRACA DE OSMAR SERRÁGLIO E DEIXA O MINISTRO DA JUSTIÇA ASSANDO EM FOGO BAIXO



Todos os bandidos que achacaram empresas em nome do PMDB e do PSDB passaram a ocupar ministérios, para assim dar continuidade aos golpes.


Senador Roberto Requião (PMDB-PR) bateu forte contra o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, interceptado conversando com o "grande chefe" de uma organização criminosa que atuava em um esquema de propinas entre frigoríficos e fiscais agropecuários; "O grande chefe de Serraglio é o operador do trambique da carne? Serraglio indicava os regionais da carne no Paraná? Suruba?", detonou; Serraglio foi flagrado em uma gravação telefônica para Daniel Gonçalves Filho, fiscal agropecuário e superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná entre 2007 e 2016, quando o atual ministro exercia o mandato de deputado, chamando-o de "grande chefe"; "Há indícios claros dentro da investigação de que parte do dinheiro da propina era revertido para partidos políticos, como o PP e o PMDB", afirmou o delegado federal Maurício Moscardi Grill, que está à frente das investigações da Operação Carne Fraca.

O resultado da Operação Carne, deflagrada nesta sexta-feira 17 contra gigantes do setor de carnes no Brasil, pode afetar seriamente a imagem do Brasil no exterior levar à criação de barreiras fitossanitárias e prejudicar as exportações de carne brasileiras.

As suspeitas são de que gigantes do setor pagaram propina a fiscais do Ministério da Agricultura para liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos. Elas também teriam adulterado produtos. Parte da propina teria sido repassada para partidos políticos como o PP e o PMDB, segundo o delegado federal Maurício Moscardi Grill.

Nenhum comentário:

Postar um comentário