terça-feira, 3 de outubro de 2017

EX-REITOR CANCELLIER: O ÓDIO PLANTADO POR SERGIO MORO FAZ MAIS UMA VÍTIMA FATAL



O ÓDIO QUE SERGIO MORO E OS PROCURADORES DA LAVA JATO PLANTARAM NO PAÍS COMEÇA A DAR SEUS MAIORES E HORRÍVEIS FRUTOS
PRIMEIRO FOI DONA MARISA LETÍCIA QUE TEVE UM AVC POR NÃO SUPORTAR AS MOLECAGENS DESSES CAFAJESTES.
AGORA FOI O EX-REITOR DA UFSC LUIZ CARLOS CANCELLIER DE OLIVO QUE, NO SEU LIMITE DA DOR, PREFERIU DEIXAR A VIDA
É PRECISO ACABAR COM A CULTURA QUE A LAVA JATO SEMEOU: DA PRESUNÇÃO DA CULPA, DA EXPIAÇÃO ANTES DO JULGAMENTO, DA INOBSERVÂNCIA DO DEVIDO PROCESSO LEGAL EM NOME DO COMBATE À CORRUPÇÃO.
NÃO HÁ MORALIDADE NA INOBSERVÂNCIA MORAL

"Cada qual tem seu limite para a dor. Na onda de punitivismo que tomou conta do Brasil, em que o castigo vem antes da apuração da culpa, dona Marisa Letícia não suportou a perseguição que se abateu sobre Lula e toda a família e sofreu um AVC fatal. Agora foi o ex-reitor da UFSC, Luiz Carlos Cancellier de Olivo que, no seu limite da dor, preferiu deixar a vida", avalia a colunista do 247 Tereza Cruvinel; "Coincidência ou conveniência, o juiz Sergio Moro declarou ontem que a Lava Jato está perto de chegar ao fim. Não é a Lava Jato em si que precisa acabar, se ainda houver ilícitos a investigar. O que precisa acabar é a cultura que ela semeou, da presunção da culpa, da expiação antes do julgamento, da inobservância do devido processo legal em nome do combate à corrupção. Não há moralidade na violência moral"


Nenhum comentário:

Postar um comentário