sexta-feira, 1 de junho de 2007

Menina de Rua - Uma Tragédia Anunciada.


Rosemeire fazendo xixi no Parque do Carmo - Olinda

.

.



.

.

.

Ontem, Rosemeire foi encontrada desacordada sob a marquise de uma loja de material de construção no centro de Olinda. Estava no oitavo mes de uma gestação embalada por cola de sapateiro, fome, frio, desamparo e solidão, apesar das companhias que conseguia a um ou dois reais, com promessas de variados prazeres sexuais.

Levada às pressas numa ambulância da Prefeitura, morreu ao chegar ao Hospital da Restauração. Seu bebê já estava morto há dias, o que provocou complicações no quadro de Rosemeire.

Seu enterro foi hoje às dez horas da manhã num pequeno cemitério de Olinda, com as despesas pagas pela Prefeitura.

Rosemeire morreu sem entender nada: Porque estava aqui nesta vida; quem a trouxe e porque; quem determinou que teria que ser pobre, estuprada pelo padrasto, abandonada pela mãe que optou por salvar seu relacionamento.

Rosemeire não entendia nada! Não teve sequer oportunidade para isso. Mas nós entendemos, sabemos que somos culpados. Até queremos fazer alguma coisa, mas essa disposição estanca quando percebemos que teríamos que abrir mão de um por cento do que conseguimos juntar ávidamente.

.

.

.

.