segunda-feira, 21 de setembro de 2015

“O pior analfabeto é o que lê a Veja” e mais 11 frases sobre o jornalismo brasileiro. Por Paulo Nogueira










1)  O pior analfabeto é o que lê a Veja.
2) A Globo não resolve nem o problema da novela das 9 e acha que tem a fórmula para resolver o problema do país.
3)  O surdo irremediável é o que ouve a Jovem Pan.
4)  Não dá para confiar mais nem na exatidão do dia que aparece na Folha.
5)  Fé obtusa é acreditar não nos pastores evangélicos, mas nos editores do Jornal Nacional.
6) Os barões da imprensa merecerão respeito no dia em que aprenderem a fazer uma legenda.
7)  Numa redação, você tem inteira liberdade para dizer sim, sim ou mesmo sim.
8)   Jornais e revistas exigem toda sorte de corte de gastos do governo, excetuada a publicidade que é colocada neles.
9) O mundo fica subitamente melhor quando você não abre um jornal.
10)  Não há uma pastilha na sede das Organizações Globo que não tenha sido fruto de  dinheiro público.
11) Um macaco teria feito a Globo ser o que é, tantas as mamatas que Roberto Marinho recebeu dos governos.

12)  Nenhum dono de jornal passaria num bafômetro que medisse a parcialidade.


Ciro Gomes: "FHC está 'costeando o alambrado do golpe'."













De Ciro Gomes, na Folha:

Folha – Como o sr. vê a articulação pelo impeachment da presidente Dilma Roussef?


Ciro Gomes - A democracia está ameaçada pelo golpismo. Está acontecendo uma escalada do golpe com apoio da oposição, que não aceitou o resultado das eleições.

Não gostar do governo não é causa para impeachment. Isso é um mecanismo raro, a ser usado em caso de crime de responsabilidade imputável direta e dolosamente ao presidente. Ninguém tem nada disso contra a Dilma.

Seria muito caro o preço de uma interrupção do mandato. É só olhar a Venezuela. Quem produziu aquele quadro lá foi esse tipo de antagonismo odiento. O país vai viver momentos tensos e graves, vizinhos à violência, por causa desses loucos.

Quem iria às ruas defender o mandato de Dilma?



Estarei na primeira fila. Muitos brasileiros vão se perfilar. Não é para defender a Dilma, é para defender a regra. Veja o que já aconteceu quando um mandato foi interrompido por renúncia, suicídio ou impedimento.

O impeachment pode ser a catarse de quem está zangado, mas no dia seguinte os problemas serão os mesmos. Só que agora o PT, a CUT e os servidores estarão em pé de guerra com um presidente sem legitimidade.

Uma parte das pessoas está nisso de boa fé porque não sabe que quem assume é o vice, Michel Temer, que é do PMDB e amigo íntimo do Eduardo Cunha. Mas tem pessoas de muita má-fé.


A quem o sr. se refere?


A Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso. O PSDB está fazendo isso por pura vingança. Em 1999, quando houve a desvalorização violenta do real e a popularidade do presidente foi ao chão, o PT começou com o Fora FHC.

O comportamento do Fernando Henrique é constrangedor. Como dizia Brizola, ele está costeando o alambrado do golpe. Qual é a proposta do PSDB? Ficar contra o fator previdenciário e a CPMF, que eles criaram? Contra o ajuste fiscal, que eles introduziram como valor supremo?