quinta-feira, 15 de novembro de 2012

LEONARDO BÓRIS - Mais Um da CBN a Nos Decepcionar





Leonardo Boris - O repórter que odeia nosso ídolo Neymar.



Em vésperas de jogo do Náutico, estou sempre ligado na JC-CBN, já que em questões de política nem sempre consigo ficar sintonizado nela por algum tempo.

Mas, com relação a futebol, sim! É na JC-CBN que assisto os jogos do Náutico, coisa que só voltei a fazer este ano, com o Timbu na primeira divisão.

Sempre estou ligado antes do meio dia, nos finais de tarde (no rádio do carro ao voltar do trabalho) e, quando é domingo e estamos indo à praia, aproveito para saber se temos mesmo condições de continuar na primeira divisão, porque acreditamos que, a partir de 2013, com nossa "arena" concluída, os clubes pernambucanos serão menos espoliados pela arbitragem, e terão também mais recursos por conta da torcida que retornará ao estádio, sentido-se agora mais segura.

Vez por outra não concordo com algum posicionamento dos debatedores, o que é normal, mas, nunca nenhum deles me deixou mais irritado do que o de LEONARDO BORIS hoje próximo ao meio dia, quando retornávamos de Boa Viagem.

Por ser feriado e já estando próximo da hora do almoço, talvez já tivesse entornado algumas, pois, só isso justificaria sua indisposição para com o nosso menino de ouro Neymar.

Saiba BORIS, que o Neymar é um bom e irreverente garoto, craque de bola, misto de Pelé e Garrincha. Isso mesmo: tem muito do que Pelé e  Garrincha tinham de melhor.

O que lhe incomoda tanto nesse menino, que um simples pênalti perdido na noite de ontem no jogo do Brasil contra a Colômbia, levou-o a reduzir a zero a carreira brilhante desse brasileiro que optou por fazer a alegria dos nossos gramados em vez de correr atrás dos Euros ofertados pelos maiores clubes do mundo?

Além de prever que ele ficaria no banco de qualquer clube europeu, você citou que Neymar era - alguma coisa como inconsequente, não lembro mais - enquanto Pelé era um homem já aos dezessete anos.

Saiba BORIS, que quem foi homem aos 17 anos foi o Neymar, que teve a honradez de assumir, sustentar, e estar presente na vida do filho da primeira namorada, enquanto Pelé - que teve toda a vida para fazer o mesmo com sua filha Sandra Regina - não foi capaz de fazê-lo, levando-a, ao morrer prematuramente, não permitir que o sobrenome Arantes do Nascimento constasse da sua lápide - embora a justiça e o exame de DNA tivessem lhe dado esse direito.

Neymar muda de cabelo a quase toda a semana, e nós aguardamos por isso como aguardamos por um dos seus desconcertantes dribles ou gools de placa. É um bom menino, que curte o que a garotada da sua idade curte, e quando dá entrevistas não fala as besteiras que o "Rei" - como insisstiu você - costuma falar.

Sua postura, LEONARDO BORIS, é a de alguém extremamente frustrado. Não sei nada sobre você nem preciso ou quero mais saber, mas, com certeza, você deve ter tentado jogar futebol, e está claro que não conseguiu.

Faça terapia, pois assim você não volta a deixar Manoel Queiroz e Ralph de Carvalho desconcertados pela opção de não lhe contradizer no ar, e não estraga o domingo nem o almoço dos ouvintes.