terça-feira, 5 de julho de 2011

Itamar Morre, e Caímos na Esparrela de Perrela .

.
.
.
.
 Enterro de Itamar - BH - Enquanto Sarney era ignorado e Collor recebia a maior vaia de milhares de mineiros, Lula era ovacionado e Perrela pensava que era pra ele.
.
.
Treinado na presidência do glorioso celeste mineiro – Cruzeiro Esporte Clube -, Perrela assume a vaga deixada por Itamar no Auri-Verde  - nem tão glorioso - senado federal.
.

Nada mais justo, já que foi Perrela quem bancou a candidatura de Itamar, que o trazia escondido sob a asa direita, com a promessa de dividir – não ao meio – seu mandato com ele.
.

Não esperava Itamar que fosse tão cedo, e de forma definitiva.
.

Os homens que têm a capacidade de envolver sua família nos seus delitos, principalmente a de arregimentar os filhos para seu campo de combate ilícito, não recebem de mim o menor apreço.
.

Zezé Perrella – do PDT mineiro - foi o único que saiu ganhando – e bota ganhando nisso - com a morte do senador mineiro, herdando um mandato quase inteiro no Senado e, de quebra, recebendo um refresco em investigações por enriquecimento ilícito, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

 Na condição de parlamentar, terá foro privilegiado, o que significa que as investigações contra ele agora dependem de autorização do Supremo Tribunal Federal.

Enquanto treinava com a "Raposa Mineira" não para ganhar títulos, mas como levar vantagem em tudo, Perrella já era acompanhado de perto pelo Ministério Público e a Polícia Federal.

 Há pouco mais de um mês, a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Minas abriu investigação para apurar como o cartola do pão de queijo, que exerceu mandato de deputado estadual entre 2007 e 2011, adquiriu a Fazenda Guará, em Morada Nova de Minas, produtora de grãos e gado. A propriedade valeria mais de R$ 50 milhões, apesar de Perrella ter declarado à Justiça Eleitoral, no ano passado, o “insignificante” patrimônio de R$ 490 mil, dizendo agora que a fazenda pertence a um dos seus filhos.

.

De qualquer forma Perrela sabe que não está cometendo nenhuma esparrela, pois conviverá estes quase oito anos entre os seus.
.
.
.
.
.
.