quarta-feira, 5 de outubro de 2016

TEMER ATIRA MARCELA NESSE JOGO SUJO PRA DAR APARÊNCIA DE LIMPO



Bonita e vaidosa, ela está aproveitando o brilhareco, sendo coerente com o modelo de negócios com o qual casou.

Texto de Kiko Nogueira no DCM

Marcela Temer não tem culpa de estar sendo usada como garota propaganda de um governo feio, sujo e malvado. Depois de um vice decorativo, temos uma primeira dama que tenta decorar — ou edulcorar — uma catástrofe.

Ela discursou durante pouco minutos para apresentar uma papagaiada chamada Criança Feliz, um “programa social”.

Oficialmente, atuará como uma espécie de embaixatriz da coisa, sem receber pelo trabalho. Uma injustiça. Merecia um bom dinheiro pelo serviço. Bastou-lhe, no entanto, o gabinete que ganhou no Palácio do Planalto com vista para a Praça dos Três Poderes.

O pronunciamento de Marcela é uma peça que poderia ser assinado pelo mesmo autor da carta vazada para Dilma ou pela Turma do Balão Mágico. Uma coleção de asneiras e frase acacianas. Confira comigo no replay:

. “Quem ajuda os outros, muda histórias de vida.”

. “Cada brasileiro importa para o desenvolvimento do país. Nossas responsabilidades aumentam a cada dia e nossos desafios também.”

. “O momento mais importante para as habilidades humanas é o dos primeiros meses de vida. Esse sentimento os guiará por toda a vida”.

. “Cada dia que conversamos com nossos filhos pequenos, carregamos nos braços e cantamos uma canção de ninar, estamos ajudando em seu desenvolvimento.”

. “Cercada de carinho e cuidados específicos desde a gravidez, uma criança terá mais possibilidades de aprendizado quando chegar à escola.”

. “É isso que o Brasil espera de nós: compromisso no presente para que o futuro de todos seja melhor.”

Chega?

Como em tudo que diz respeito à turma do marido de Marcela, nada é como divulgado. O orçamento anunciado era, inicialmente, de 80 milhões de reais.

Ao Estadão, o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, falou que vai ficar mesmo em 30. Para o ano que vem, 300 milhões. Em julho, o valor anunciado era 1 bilhão. E assim vai.
Marcela faz o chamado “endorsement” do produto. Ela não precisa, necessariamente, entender dele. É como Justin Bieber usando a meia na cabeça que seu agente manda colocar e sobre a qual ele não sabe coisa alguma.

Bonita e vaidosa, ela está aproveitando o brilhareco, sendo coerente com o modelo de negócios com o qual casou. Um dia ela acorda e descobre, quem sabe, onde foi que se meteu.

Ou uma dessas crianças que ela prometeu ajudar puxa a moça de lado e conta a verdade.


RÉU NO STF É COLOCADO POR RENAN NO MINISTÉRIO DO TURISMO



O réu Marx Beltrão é imposto por Renam no Ministério do Turismo, e Temer se cala.

Do Congresso em Foco:

O deputado Marx Beltrão (PMDB-AL), de 37 anos, é o novo ministro do Turismo. A sua nomeação foi publicada na edição desta quarta-feira (5) do Diário Oficial da União. Ele é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) em processo por falsidade ideológica por atos relativos à sua gestão como prefeito do município de Coruripe (AL). Ele assumirá o cargo deixado há cinco meses pelo ex-ministro Henrique Eduardo Alves, que pediu demissão após novas citações na de seu nome na Operação Lava Jato.

Aliado político do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), seu colega de estado e partido, Marx enfrentou a resistência do presidente Michel Temer, que temia o desgaste com a nomeação de um ministro réu. O deputado, no entanto, apresentou sua defesa ao governo, alegando que a acusação não era grave. Temer confirmou o novo ministro após um almoço ontem com Renan. A posse dele está prevista para o início da tarde desta quarta.

Na Ação Penal 931, relatada pelo ministro Roberto Barroso, Marx Beltrão e o então presidente da Previcoruripe, autarquia responsável pela gestão do Regime Próprio de Previdência dos servidores públicos de Coruripe, são acusados de fraudar a quitação previdenciária do município ao Ministério da Previdência.

Segundo a denúncia, o objetivo da fraude era tornar Coruripe adimplente com a União e, assim, receber transferências voluntárias de recursos e financiamentos de instituições financeiras federais. Com a manobra, prossegue a acusação, a prefeitura deixou de repassar ao Fundo de Previdência do município cerca de R$ 626 mil de contribuições devidas, entre dezembro de 2010 e dezembro de 2011.

O prefeito e o presidente da autarquia, no entanto, assinaram seis comprovantes de repasse atestando o recolhimento integral da parcela patronal no período. De acordo com o Ministério Público, os próprios denunciados reconheceram a falsidade das informações ao parcelarem os valores da dívida junto à Previdência.

Comprovantes de depósitos que integram o inquérito policial mostram que Marx Beltrão depositou R$ 991,1 mil na conta do Previcoruripe apenas em julho de 2012 para quitar a dívida. Ou seja, à época da elaboração e apresentação dos Comprovantes do Repasse e Recolhimento ao Regime Próprio, o município não havia feito o repasse integral dos valores.



RELATOR DA REPRESENTAÇÃO PARA CASSAÇÃO DE JAIR BOLSONARO (PAI DO BOLSONARO QUE DESMAIOU EM PLENO DEBATE NA BAND), DÁ PARECER FAVORÁVEL A ACEITAÇÃO DA DENÚNCIA.



Vai ser cassado por usar a palavra de forma criminosa.

Do Brasil Post:

O relator da representação do Partido Verde (PV) contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) no Conselho de Ética, deputado Odorico Monteiro (Pros-CE), votou em favor do colegiado aceitar dar prosseguimento ao processo de quebra de decoro parlamentar. Bolsando é acusado de fazer “apologia ao crime de tortura”.

Na votação pela admissibilidade do impeachment da então presidente Dilma Rousseff, Bolsonaro fez uma homenagem ao coronel Carlos Brilhante Ustra.

“Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff’’, afirmou, ao declarar o voto, em abril.

O coronel foi o primeiro militar brasileiro a responder por um processo de tortura na ditadura. Entre as vítimas dele está a ex-presidente Dilma. Ustra chefiou o DOI-Codi do II Exército, em São Paulo, órgão de repressão política durante a ditadura militar.

Para o relator, Bolsonaro abusou da prerrogativa de parlamentar.

CUNHA - A UM PASSA DA ETERNIDADE



Cunha, o "Al Capado" brasileiro, está a um passa da eternidade em Bangu


Do Uol:

A ação penal contra o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por contas bancárias não declaradas na Suíça será enfim remetida do STF (Supremo Tribunal Federal) ao juiz Sérgio Moro, do Paraná. A providência será tomada vinte dias depois de o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki ter tomado a decisão de encaminhar o processo para a Justiça Federal no Estado.

Com a cassação, Cunha perdeu direito ao foro privilegiado — ou seja, ao direito de ser julgado pelo Supremo. Em 14 de setembro, dois dias depois da perda do mandato, Teori autorizou a remessa para Moro da ação penal em que Cunha é acusado de corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro por manter contas na Suíça com dinheiro oriundo de uma suposta operação envolvendo negócios da Petrobras na África. No entanto, o envio do caso para o juiz só teria efeito após a publicação da decisão do plenário da Corte que recebeu a denúncia contra Cunha, o que só aconteceu agora.

Moro já conduz investigações contra a mulher de Cunha, Cláudia Cruz, e uma de suas filhas, Danielle Dytz da Cunha, com relação às contas bancárias no exterior das quais a família é beneficiária. O ministro dos Transportes, Maurício Quintela, e os deputados federais Carlos Marun (PMDB-MS), Jovair Arantes (PTB-GO) e Hugo Motta (PMDB-PB) vão depor este mês como testemunhas de defesa de Cláudia.