segunda-feira, 14 de novembro de 2016

PROCURADORES DA LAVA JATO QUEREM IMPEDIR QUE LEGISLATIVO OS INCLUA ENTRE OS SERES QUE PODEM SER RESPONSABILIZADOS POR SEUS CRIMES. O MESMO VALERIA PARA OS JUIZES, COMO SERGIO MORO, GILMAR MENDES E OUTROS.



Deltan Dallagnol acha que Procuradores estão acima de qualquer suspeita, mesmo depois do power point.



Um grupo de procuradores da República de Brasília e de Curitiba se reuniu nesta segunda-feira com o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), relator da comissão especial encarregada de apreciar as 10 medidas de combate à corrupçãosugeridas pelo Ministério Público Federal (MPF). Os procuradores querem que Lorenzoni altere proposta de criação de crime de responsabilidade para integrantes do Ministério Público e para juízes, que não constava do pacote original das dez medidas.

Segundo um procurador, a tipificação do crime de responsabilidade para integrantes do Ministério Público e magistrado seria uma forma de se colocar uma camisa de força em autoridades que estão à frente de determinadas investigações. Com o risco de serem processados, procuradores, promotores e juízes poderiam se sentir constrangidos em levar adiante apuração de crimes complexos, especialmente quando estivesse diante de investigados poderosos.

Os procuradores querem também que Lorenzoni altere outros trechos do relatório. A reunião começou pela manhã e foi interrompida no início da tarde. Depois do almoço, o grupo voltou a discutir o assunto numa sala de reuniões da Câmara. Entre os procuradores estão os secretários de Cooperação Jurídica Internacional da Procuradoria-Geral da República, Vladimir Aras; de Relações Institucionais Peterson de Paula Pereira; e o coordenador da Operação Lava-Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol.
 
 

CADEIA HABILITA MINISTRA CARMEN LUCIA A 2018



Pense em mim, vote em mim, vote por mim, não... não vote por eles!...



Após visita "surpresa" à Papuda (maior presídio do Distrito Federal), a ministra do STF Carmen Lúcia é lançada pela Folha de São Paulo a presidenta em 2018.

Outro ponto que impulsiona a lembrança do seu nome é o destaque que ela está dando para os julgamentos do Supremo. Greve do funcionalismo e vaquejada tiveram grande importância para a ministra nas sessões. Ela busca acelerar os processos para tirar da fila julgamentos atrasados há bastante tempo, só não se ouviu falar em nenhum processo que envolva algum político.

Sem dúvidas, uma excelente candidata para proteger o que se instalou no nosso país.