sábado, 3 de junho de 2017

AÉCIO SERÁ PRESO NOS PRÓXIMOS DIAS, PRA DESESPERO DE SERGIO MORO



AMOR PRA 500 ANOS



O jornalista Joaquim de Carvalho, do Diário do Centro do Mundo, pergunta se a prisão do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) também implicará na detenção de Michel Temer e do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). Dois fatos unem Aécio a Loures. Um é o corruptor – Joesley Batista. O outro é o governo da república, que ambos, na proporção de poder de cada um, movimentaram ou movimentam", destaca Carvalho.

"No pedido de prisão de Aécio, o procurador Rodrigo Janot cita dois favores prestados por Aécio: a liberação de créditos de R$ 12,6 milhões de ICMS da JBS Couros e de créditos de R$ 11,5 milhões de ICMS para uma empresa ligada à Seara, comprada por ele", diz o jornalista.

"Aécio já poderia ter sido preso, na única hipótese prevista na Constituição para políticos com foro privilegiado: o delito flagrante, pois a ação controlada nada mais é do que o adiamento da prisão para coletar mais provas.(...) E agora o mais grave: o crime continua acontecendo, na medida em que Temer tirou o ministro que Aécio considerou "peba" e colocou outro, que já estuda mudanças na Polícia Federal", ressalta o texto.

"Não era isso que Aécio disse a Joesley que precisava ser feito? E, ao que parece, está sendo feito. Tudo diante dos nossos olhos. E Aécio continua solto", dispara Carvalho. O jornalista também observa que Michel Temer tinha Loures como homem de confiança e que o ex-parlamentar mudou de advogado.

"O novo advogado Cézar Roberto Bitencourt, assumiu a causa depois de escrever dois artigos, publicados no site Conjur, em que defende a tese de que, na conversa com Joesley Batista, Temer não cometeu nenhum crime – nem obstrução da justiça muito menos prevaricação – e considerou a ação do Ministério Público Federal de flagrante forjado", diz Carvalho em sua análise.

"Com ou sem manobra jurídica, o lamaçal está tão exposto que a prisão de Loures hoje parece ser a prévia do que acontecerá – talvez num tempo muito mais curto do que se supõe: Aécio e Temer entrando na carceragem da Polícia Federal", ressalta o jornalista.

TEMER, LADRÃO, DESMORALIZA A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA



Acusado pelo Procurador Geral da República de inúmeros crimes gravíssimos, tais como achaque, formação de quadrilha, obstrução da justiça dentre outros, Michel Temer passa para o lado podre da história do Brasil como o presidente mais desonesto, mais desmoralizado e mais sem vergonha.
Informação postada pelo jornalista Ricardo Noblat neste sábado torna ainda mais vergonhosa a permanência de Michel Temer no poder; segundo ele, em grampos interceptados pela Polícia Federal, Rodrigo Rocha Loures, o homem da mala preso neste sábado, depois de ter recebido R$ 500 mil em propinas da JBS, diz que o dinheiro é de Temer – confirmando o que já foi dito por Ricardo Saud, delator da empresa de alimentos.


Prestes a ser o primeiro ocupante da presidência da República do Brasil denunciado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial, Michel Temer deixou claro que só sairá do Palácio do Planalto se for arrancado.
 
"Não saio daqui, não saio mesmo", disse ele ao jornalista Policarpo Júnior, em entrevista publicada na revista Veja deste fim de semana.

Colocado no poder por meio de um golpe parlamentar, articulado por Aécio Neves, denunciado por corrupção, e Eduardo Cunha, condenado a 15 anos de prisão, que arruinou a economia brasileira e transformou o País numa república bananeira, Temer viu um de seus principais assessores, Rodrigo Rocha Loures, ser preso neste sábado.

Loures foi preso porque recebeu uma mala com R$ 500 mil que, segundo a JBS, era destinada a ele próprio – Michel Temer.

Na entrevista, Temer disse que Loures não precisava de dinheiro e que foi vítima de uma armação. "Ele vai se explicar", disse.

No entanto, como as imagens não mentem, Loures foi preso e está sendo transferido para o presídio da Papuda, onde irá refletir se delata ou não seu chefe.

Temer também falou sobre o coronel João Baptista Lima, que, segundo a Polícia Federal, pagava suas despesas pessoais. "É meu amigo e sofre as consequências de ser meu amigo", afirmou.

Segundo o entrevistador, Temer chegou a bater na mesa, quando foi questionado sobre a possibilidade de renúncia. "Eu não saio daqui, não saio daqui com a minha honra maculada. Vou até 31 de dezembro de 2018".

Percebe-se, assim, o tamanho do problema que as elites brasileiras colocaram para o País ao derrubar uma presidente legítima e honesta, Dilma Rousseff, para instalar em seu lugar alguém como Michel Temer.

ROCHA LOURES É PRESO. A BOLA DA VEZ É AÉCIO, E DEPOIS, TEMER



COM A CASA APINHADA DE DOCUMENTOS COMPROMETEDORES SOBRE OS CRIMES PRATICADOS NOS ESQUEMA DOS PORTOS, NOTADAMENTE NO DE SANTOS, A PRISÃO DE ROCHA LOURES ABRE UMA AMPLA FRENTE DE INVESTIGAÇÕES CONTRA MICHEL TEMER.

Foi preso na manhã deste sábado Rodrigo Rocha Loures, que recebeu uma mala com R$ 500 mil em propina da JBS.
 
De acordo com a empresa, o dinheiro seria entregue a Michel Temer.

A partir de agora, o Ministério Público tem 15 dias para finalizar a denúncia que pode sacramentar a queda de Temer.

A informação foi confirmada à jornalista Mônica Bergamo por Cezar Bittencourt, advogado de Rocha Loures. 

"O ex-parlamentar foi preso em sua casa, em Brasília, informa ainda Bitencourt. O advogado está em Porto Alegre, pegando avião para se dirigir à capital federal", diz a jornalista.

Há a expectativa de que ele possa fazer uma delação premiada, revelando quem era o destinatário do dinheiro.

Grávida de oito meses, sua mulher o incentiva a delatar Temer, que será denunciado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial – um caso inédito na história do Brasil e de qualquer democracia moderna.

Já o jornalista Lauro Jardim, o primeiro a divulgar as delações da JBS, aposta numa delação premiada de Rodrigo Rocha Loures, o homem da mala de Michel Temer:

Com Rodrigo Rocha Loures preso, o Palácio do Planalto passou a prender a respiração.

Michel Temer não vai admitir de público, mas sua situação piorou de forma poderosa desde hoje de manhã.

Temer tinha sem sombra de dúvida terminado a semana muito melhor do que começou.

Agora, o jogo volta a girar em outro diapasão.

Cada caso é um caso, mas quem conhece a alma de Rocha Lourtes não acredita que ele suporte a prisão por muito tempo.

"A Polícia Federal apreendeu em endereços de Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ex-assessor do presidente Michel Temer, documentos referentes a interesses da empresa portuária Rodrimar, segundo relatório policial", informam os jornalistas Reynaldo Turollo e Rubens Valente; o porto de Santos é, há vários anos, área de influência de Temer, que decidiu prorrogar as concessões em 35 anos, depois de conquistar o poder por meio do golpe parlamentar; Rocha Loures recebeu uma mala de R$ 500 mil e foi preso neste sábado.

 

JANOT ARRANCA AÉCIO DA ASA DE SERGIO MORO E O DENUNCIA POR MEGAPROPINA DE 60 MILHÕES



INVISÍVEL PARA MORO E SEUS PROCURADORES QUE NÃO PROCURAM O QUE TODOS JÁ SABEM, E ENCONTRAM APENAS O QUE NÃO EXISTE, AÉCIO, TEMER E QUADRILHA SÃO ENCONTRADOS EMBAIXO DA ASA PROTETORA DA REPÚBLICA DO PARANÁ.


No mesmo dia em que ofereceu denúncia ao Supremo Tribunal Federal contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) pelos crimes de obstrução da Justiça e corrupção passiva, o procurador-geral da República solicitou a abertura de um novo inquérito contra o tucano, desta vez por lavagem de dinheiro.
 
Janot aponta "o pagamento de propina da ordem de mais de R$ 60 milhões feito em 2014 ao parlamentar por meio da emissão de notas fiscais frias a diversas empresas indicadas por ele", além do pagamento a diversos partidos para apoiarem a candidatura à Presidência da República em 2014, e "o pagamento de dinheiro em espécie feito diretamente a Frederico Pacheco de Medeiros, primo do Senador e por este indicado para receber os valores".

Leia mais na Agência Brasil:

PGR pede abertura de inquérito para investigar Aécio por lavagem de dinheiro.

André Richter - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta sexta-feira 2 ao Supremo Tribunal Federal (STF) nova autorização para investigar o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), desta vez por lavagem de dinheiro. O pedido foi feito no início desta noite, após o parlamentar ter sido denunciado pelos crimes de corrupção passiva e obstrução da Justiça.

De acordo com Janot, as provas colhidas nas buscas e apreensões realizadas na Operação Patmos apontam para o suposto cometimento de novos crimes, que ainda precisam de aprofundamento nas investigações.

Denúncia

Na denúncia apresentada ao Supremo, Janot acusa Aécio Neves de solicitar R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, um dos delatores da JBS. A irmã do parlamentar, Andrea Neves, o primo de Aécio, Frederico Pacheco, e Mendherson Lima, ex-assessor do senador Zezé Perrela (PMDB-MG), também foram denunciados.

Todos foram citados na delação premiada da JBS. De acordo com o procurador, o recebimento do valor teria sido intermediado por Frederico e Mendherson, que teria entregue parte dos recursos em uma empresa ligada ao filho de Perrella. A denúncia está baseada em gravações feitas pela Polícia Federal, durante uma ação controlada.

Em nota, a defesa do senador afastado disse que recebeu "com surpresa a notícia" da denúncia. Os advogados apontam que "diversas diligências de fundamental importância", entre elas o depoimento de Aécio e a perícia nas gravações, ainda não foram realizadas. "Assim, a defesa lamenta o açodamento no oferecimento da denúncia e aguarda ter acesso ao seu teor para que possa demonstrar a correção da conduta" de Aécio.

ALEXANDRE DE MORAES É CITADO EM ÁUDIO QUE INCRIMINA AÉCIO NEVES



AÉCIOXANDRE DE MORANEVES
 

A denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) por lavagem de dinheiro feita por Rodrigo Janot, Procurador-Geral da República, traz consigo mais um elemento crucial do golpe. Alexandre de Moraes, membro da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal, que irá julgar o caso, é citado nos diálogos que incriminam Aécio. Num país republicano, o ministro deveria se declarar impedido de julgar a questão.