quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Aécio assume que mentiu, e que aos 17 anos já recebia salário do governo federal sem trabalhar.









O passado de Aécio Neves não é motivo de orgulho. Por isso mesmo, ele o esconde de seus eleitores na biografia oficial que publica em seu site. Lá, Aécio diz que começou sua vida profissional aos 21 anos, quando seu avô Tancredo Neves deu a ele um emprego. Mas, na verdade, esse não foi o primeiro emprego que Aécio ganhou: dois anos antes, seu pai, que era deputado federal pelo PDS (antiga Arena da ditadura militar), o nomeou assessor de seu gabinete. O emprego na Câmara dos Deputados era em Brasília. Mas o adolescente Aécio morava no Rio.


A imprensa descobriu o caso, e Aécio admitiu que foi nomeado pelo pai, recebia salário dos cofres públicos e vivia a quase 1.000 km do emprego. Você pode ver a reportagem original da Folha de S. Paulo clicando AQUI.

Desde sempre, a carreira de Aécio foi marcada por uma série de benefícios recebidas por ele de familiares. E, depois de eleito governador, foi a vez dele estender essa ajuda aos parentes. Uma rede de assistência familiar no mínimo bem distante da meritocracia que apregoa. Clique AQUI e conheça essa rede de relações e benefícios familiares.




Nenhum comentário:

Postar um comentário