terça-feira, 2 de dezembro de 2014

À DERIVA, VEJA APELA E REZA PARA NÃO AFUNDAR







Em crise financeira e em processo de fechamento de revistas, que passam a circular apenas em versão digital, a Editora Abril publicou um texto bizarro neste fim de semana; em Veja, Lya Luft escreveu a "Oração da nau à deriva"; "Dá-me, Senhor, uma tripulação competente, com alta perícia, que me tire destas dificuldades e me faça retornar ao que devo ser: um barco singrando águas promissoras, com possibilidade de sucesso"; náufraga e sem credibilidade, Veja atravessa mar revolto.

Vivendo um dos piores momentos de sua história, com credibilidade abalada, fechamento de revistas (leia aqui sobre Info), fuga de anunciantes e de leitores, a Editora Abril agora apela aos céus.

É o que faz Lya Luft, colunista de Veja, em sua "Oração da nau à deriva", publicada neste fim de semana.

"Dá-me, Senhor, uma tripulação competente, com alta perícia, que me tire destas dificuldades e me faça retornar ao que devo ser: um barco singrando águas promissoras, com possibilidade de sucesso", diz ela.

"Senhor, neste mar indeciso e muitas vezes encapelado em que estou perdida, dá-me alguma certeza de que existe uma rota firme e fixa, de que o trajeto correto é possível e de que no fim desse nevoeiro me espera uma luz positiva, uma luz boa, não apenas promessas e palavras vãs, mas realidades necessárias para que eu sobreviva com minha preciosa carga humana", diz ela.

O texto deixa no ar a dúvida: Luft discorre sobre o Brasil ou sobre a Abril? Como a edição de Veja desta semana aprova a indicação de Joaquim Levy para a Fazenda, que, segundo a revista, recolocaria o Brasil no rumo certo, resta a hipótese de que Veja esteja à deriva.

Isolada em seu golpismo, a revista dos Civita talvez tenha criado um universo paralelo, no qual apenas seus colaboradores e mais fanáticos seguidores acreditam.





Nenhum comentário:

Postar um comentário