sexta-feira, 12 de junho de 2015

DELEGADO DA LAVA JATO ANUNCIA AÇÃO CONTRA LULA E ESQUECE FERNANDO HENRIQUE CARDOSO









Delegado Igor Romário de Paula afirma que "muito provavelmente" as doações da Camargo Correa ao Instituto Lula serão objeto de uma nova investigação da Polícia Federal, para apurar motivo e origem dos recursos transferidos; entidade recebeu R$ 3 milhões; as duas partes alegam que as contribuições referem-se a apoio institucional e ao patrocínio de palestras do ex-presidente no exterior; no âmbito da Lava Jato, a empreiteira é investigada pelo pagamento de propina por contratos públicos - esquema foi admitido pelos ex-executivos Eduardo Leite e Dalton Avancini, em acordo de delação premiada; construtora Camargo Corrêa também foi uma das 12 empresas brasileiras e estrangeiras que doaram R$ 7 milhões ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para a criação do instituto que leva seu nome.

247 - As doações feitas pela empreiteira Camargo Corrêa ao Instituto Lula devem ser alvo de um inquérito da Policia Federal. É o que afirma o delegado Igor Romário de Paula.

A entidade recebeu R$ 3 milhões e mais R$ 1,5 milhão foram pagos para a LILS Palestras Eventos e Publicidade, de Luiz Inácio Lula da Silva, entre os anos de 2011 e 2013. O Instituto Lula informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que os valores registrados na contabilidade da Camargo Corrêa foram doados legalmente e que não existe relação entre a entidade e questões eleitorais. A Construtora disse que as contribuições referem-se a apoio institucional e ao patrocínio de palestras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no exterior.

O delegado, no entanto, afirma que "muito provavelmente" as doações serão objeto de uma nova investigação, para apurar motivo e origem dos recursos transferidos.

Na Lava Jato, a Camargo Correa é investigada pelo pagamento de propina por contratos públicos. O esquema foi admitido pelos ex-executivos da empreiteira, Eduardo Leite e Dalton Avancini, em acordo de delação premiada.

O caso também foi parar na CPI da Petrobras. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aprovou nesta quinta (11) requerimentos para convocar o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, e o tesoureiro da campanha da presidente Dilma Rousseff em 2010, José de Filippi Júnior.

Construtora Camargo Corrêa também foi uma das 12 empresas brasileiras e estrangeiras que doaram R$ 7 milhões ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para a criação do instituto que leva seu nome.




Nenhum comentário:

Postar um comentário