domingo, 28 de maio de 2017

BARROSO CONTESTA GILMAR E ALERTA QUE HÁ UM CERCO SE FORMANDO CONTRA FACHIN




BARROSO CONTESTA GILMAR E DIZ QUE O MINISTRO FACHIN SOFRE CERCO E PRECISA DE PROTEÇÃO E GILMAR ESTREBUCHA AO SABER QUE JANOT TEM MUITO MAIS SOBRE ELE NAS GRAVAÇÕES DA JBS

"A delação só faz sentido se o colaborador tiver a segurança de que o acordo feito será respeitado. Se ela puder ser revista, em breve o instituto deixará de existir", disse o ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal; a declaração é uma resposta ao colega Gilmar Mendes, que sugeriu que a delação da JBS, que praticamente selou a queda do governo de Michel Temer e o fim da carreira política do senador Aécio Neves (PSDB-MG), teria que ser aprovada pelo plenário da corte; Barroso também questionou outra declaração de Gilmar, que se disse inclinado a rever seu voto sobre prisões em segunda instância; "Voltar ao modelo anterior é retomar um sistema que pune os pobres e protege os criminosos que participam de negociatas com o dinheiro público".

Luís Roberto Barroso afirmou ainda que seu colega Edson Fachin, relator da Lava Jato na corte, está envolto em pressões e que há "um cerco" se fechando sobre o ministro; “Ninguém poderia achar que um processo criminal desta magnitude, envolvendo autoridades com a estatura das autoridades que estão tendo que se defender e se explicar, não produzisse reação", disse Barroso; Fachin substituiu Teori Zavascki, morto em um acidente de avião de circunstâncias ainda não explicadas, na relatoria da Lava Jato.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário